Um fonte próxima do governo do Reino Unido, disse ao jornal Sunday Times, que o Primeiro-Ministro Boris Johnson quer transformar o atual modelo de taxa pública de audiovisual em serviço de subscrição.

A taxa de licença está protegida por lei até 2027.

"Estamos fazendo consultas e vamos acabar com a taxa obrigatória. Tem de ser um modelo por subscrição. A BBC têm centenas de rádios, canais de TV e um enorme Website. Isto precisa de uma enorme poda", disse a fonte. "Eles devem ter algumas estações de TV e de rádio, reduzir massivamente a presença na Internet, e colocar mais dinheiro e esforço no Serviço Mundial, que faz parte de sua missão principal".

Na opinião do esquerdista The Guardian, a mudança levará a BBC a encerrar dezenas de estações de rádio, diminuir o número de canais de TV, reduzir os custos com os serviços online, despedir funcionários, e deixar de produzir séries e filmes.

Por sua vez, a atriz britânica ganhadora do Oscar Helen Mirren disse que é hora da BBC considerar outras formas de se financiar no momento em que retorna o debate no Reino Unido sobre o futuro da taxa de licença.

Em citações amplamente divulgadas na imprensa britânica, Mirren disse a uma audiência no Kiln Theatre, em Londres, que a 'licence fee', uma taxa obrigatória de £ 154,50 / ano para as famílias do Reino Unido, "teve seu dia".

Custo anual por domicilio da licença de TV em janeiro de 2019. Fonte: European Broadcasting Union. (*) média
Custo anual por domicilio da licença de TV em janeiro de 2019. Fonte: European Broadcasting Union. (*) média

É uma ofensa criminal assistir à TV ou usar o BBC iplayer no Reino Unido sem uma licença de TV válida.

A cobrança é imposta a toda residência que tenha um aparelho de TV, mesmo que utilizado para outros fins. O governo mantém veículos especialmente equipados circulando permanentemente para detectar e multar os 'criminosos'.

O Reino Unido já vinha analisando descriminalizar a penalidade pelo não pagamento da taxa de licença, medida que tem a oposição da BBC.

"O que estamos falando como primeiro passo é a descriminalização do não pagamento da licença de TV", disse o Secretário da Justiça Robert Buckland à rádio BBC em dezembro.

Muitos parlamentares entendem que aqueles que não querem ou não podem pagar a taxa compulsória – que será reajustada em abril para 157,50 libras por ano – não devem ser processados criminalmente.

A BBC alertou que essa mudança poderia ter um impacto significativo em suas finanças e potencialmente colocar parte de sua produção em risco.

"A análise independente do próprio governo descobriu que o atual sistema de dissuasão e acusação criminal deve ser mantido", disse um porta-voz da BBC.

Instalações da BBC na MediaCityUK, em Salford Quays, na Grande Manchester, UK.
Instalações da BBC na MediaCityUK, em Salford Quays, na Grande Manchester, UK.

Dentro de 24 horas da publicação da matéria do Sunday Times, uma petição para "salvar nossa BBC" tinha 100.000 assinaturas.

A proposta de queda da taxa compulsória mostra-se politicamente tóxica para o governo, já que a BBC é a emissora preferida de milhões de telespectadores e ouvintes todos os dias.

Parlamentares conservadores de destaque sairam em defesa da BBC.

Huw Merriman, presidente do grupo parlamentar na BBC, advertiu o governo contra "uma vingança não edificante" contra a BBC, dizendo que a corporação "não deveria ser um alvo".

"Esta não é uma luta que a BBC está escolhendo nem uma medida que meu partido prometeu se fossemos eleitos", escreveu o político no Daily Telegraph. "Se a BBC acabar em declínio, será o governo que será acusado pelas mesmas pessoas nas quais contamos com o apoio nas próximas eleições".

Durante a campanha eleitoral, Boris Johnson questionou se o modelo de financiamento da BBC ainda "fazia sentido", dada a crescente popularidade de serviços de streaming sob demanda, como a Netflix.

O primeiro-ministro britânico, que trabalhou durante 30 anos como jornalista em organizações privadas rivais da BBC, como The Telegraph Group e The Spectator, disse que ainda não se sabe se é "justificado" exigir que as pessoas paguem uma taxa fixa pela produção de uma emissora.

* Com informações do Sunday Times, The Guardian, Deadline, BBC, Reuters

Veja também: