As taxas de juros eram fixas e variaram de 2,5% ao ano até 8,7% ao  ano, de acordo com a taxa do PSI praticada à época, que era inferior à  taxa básica da economia (Selic).

Todos os empréstimos foram concedidos por meio de operações indiretas  automáticas, nas quais os recursos do BNDES são repassados aos clientes  por bancos intermediários, que se encarregam de fazer a análise de  risco e a contratação da operação de crédito. Segundo o BNDES, a  divulgação da lista faz parte da política de transparência da atual  direção do banco.

“[O PSI] foi uma política pública instituída por lei em 2009,  operacionalizada pelo BNDES segundo condições estabelecidas pelo  Conselho Monetário Nacional, e as operações aqui detalhadas seguiram o  arcabouço institucional vigente”, destaca a instituição.

* Edição: Frontliner