Ao longo de setembro, a autoridade monetária vai trocar US$ 11,6 bilhões de contratos de swap (venda de dólares no mercado futuro) em circulação no mercado por recursos das reservas externas.

Desde quarta-feira (21), o BC está vendendo até US$ 550 milhões por dia das reservas internacionais para segurar o câmbio. As operações são feitas de forma conjugada com swaps cambiais  reversos (compra de dólares no mercado futuro) no mesmo valor, para  manter a posição cambial (confronto entre os contratos cambiais e os  dólares comprados e vendidos) da autoridade monetária.

Até o início desta semana, o BC usava exclusivamente os contratos de swap cambial  para atuar no mercado futuro e segurar o dólar em momentos de  volatilidade. Esse tipo de operação não altera as reservas  internacionais, mas pressiona os juros da dívida pública, aumentando o  endividamento do governo.

A autoridade monetária, no entanto, começou a mudar a estratégia.  Entre os dias 21 e 29 deste mês, o BC venderá até US$ 3,845 bilhões das  reservas. Com o anúncio da venda de mais US$ 11,6 bilhões, as reservas cairão para US$ 372 bilhões até o fim de setembro.

* Edição: Frontliner