"A princípio, o que deve ser feito? A partir de março, por quatro meses, R$ 250 de auxílio emergencial. Então é isso que está sendo disponibilizado, está sendo conversado ainda, em especial, com os presidentes da Câmara e do Senado. Porque a gente tem que ter certeza de que o que nós acertarmos, vai ser em conjunto”, explicou Bolsonaro.

A expectativa do governo é que a injeção dos recursos do auxílio na economia fortaleça a retomada do crescimento do País.

“Nossa capacidade de endividamento está, acredito, no limite. Mais quatro meses para ver se a economia pega de vez, pega pra valer", disse o Presidente.

O novo auxílio emergencial tem o mesmo objetivo do auxílio pago ao longo do ano passado, de ajudar a população mais atingida pelas medidas restritivas decretadas por governos estaduais e municipais, em especial, os trabalhadores informais.

Em 2020, o governo federal pagou 5 parcelas mensais de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (no caso de mães chefes de família), seguidas de mais 4 parcelas de R$ 300, auxiliando diretamente quase 70 milhões de pessoas em situação de fragilidade econômica.

Veja também: