De acordo com a Receita Federal, destacam-se no bom resultado de maio:

  • aumento real de 25% na arrecadação do imposto de renda retido na fonte;
  • aumento real de 10% na arrecadação de impostos sobre importados, com o crescimento de 15% em valor das importações;
  • crescimento das receitas com "royalties" do petróleo; e
  • aumento do lucro das empresas.

No  acumulado do ano, a arrecadação somou  R$ 640 bilhões. Trata-se do  melhor resultado para os cinco primeiros meses de um ano desde 2014.

Lucratividade maior

O  coordenador de Previsão e Análise da Receita Federal, Claudemir   Malaquias, destacou a alta de 6% no pagamento de IRPJ e da Contribuição  Social sobre Lucro Líquido (CSLL). “O desempenho do IR está muito  melhor este ano do que no anterior, com perspectiva das empresas de  auferirem mais lucro”, afirmou.

Malaquias ponderou que a  arrecadação não tem relação direta com o PIB em um período curto de  tempo. No ano passado, as receitas cresceram 3,5%, para variação do PIB  de 1%. “A base do imposto de renda é o lucro. A  atividade econômica  pode estar contraída, mas a lucratividade maior”,  afirmou.