Segundo o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, o resultado da arrecadação de julho é explicado pelo recolhimento atípico de R$ 3,2 bilhões do Imposto de Renda de Pessoas Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

"Isso se deve a várias operações de reorganizações societárias que não devem se repetir, já que esses movimentos de investidores não têm previsibilidade. O reconhecimento dessas operações nos balanços das companhias entra como ganho de equivalência patrimonial, o que obriga ao pagamento do CSLL e do IRPJ", explicou.

Malaquias também destacou que o balanço trimestral de julho cresceu  42% em relação a julho do ano passado. "Isso vem das empresas que  estão sendo tributadas pelo lucro real de forma trimestral. Algumas  empresas que eram tributadas com base em estimativa mensal decidiram  migrar neste ano para a tributação pelo lucro real, que é trimestral",  afirmou.

No acumulado do ano, a arrecadação federal soma R$ 895 bilhões, aumento de 2% na comparação com 2018 e o melhor desempenho para o período janeiro-julho desde 2014.

As receitas administradas pela Receita Federal, como impostos e contribuições, chegaram a R$ 128 bilhões, em julho, com aumento real de 4,2%, e acumularam R$ 854 bilhões nos sete meses do ano, alta de 1,6%.

As receitas administradas por outros órgãos, principalmente royalties do petróleo, registraram queda em julho. Essas receitas totalizaram R$ 10 bilhões, no mês passado, com retração de 10% em relação a julho de 2018. De janeiro a julho, o total chegou a R$ 41 bilhões, com  aumento real de 10%, na comparação com o mesmo período do ano  passado.

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em renúncia  fiscal de R$ 54 bilhões entre janeiro e julho deste ano. Em igual período do ano passado, a renúncia fiscal foi de R$ 46 bilhões.

A desoneração da folha de pagamentos resultou em redução de arrecadação em R$ 644 milhões em julho e R$ 3,642 bilhões no acumulado do ano.

* Com dados da Agência Brasil e do jornal O Estado de S.Paulo.