"A prioridade hoje é garantir estabilidade porque é inútil lançar  medidas de reativação se não houver estabilidade", disse o Ministro da Fazenda, Hernan Lacunza, que assumiu o cargo na semana passada.

O governo também anunciou que pretende alongar suas dívidas de curto prazo com pessoas jurídicas, como bancos e seguradoras, que detém 10%  desses papeis, pagando 15% no vencimento, 25% após três meses de vencidas, e 60% após seis meses do vencimento.

As dívidas de longo prazo no exterior, como empréstimos concedidos pelo FMI, serão renegociadas.

Lacunza prevê que as negociações com o FMI podem começar ainda sob o mandato do presidente Mauricio Macri, mas serão concluidas, "inexoravelmente", no mandato do próximo governo.

* Com informações do Deutsche Welle e da Agência Brasil

Mercedes Benz Brasil confirma investimento de R$1,4 bi em nova linha de caminhões

"A Argentina é o nosso maior mercado de exportação e mostrou sinais de recuperação nos últimos dois meses, mas vai cair novamente, isso está claro", disse o presidente da Mercedes Benz no Brasil e na América Latina, Philipp Schiemer.

Schiemer disse a repórteres na fábrica da Mercedes  Benz, em São Bernardo do Campo, que as exportações de caminhões e ônibus  fabricados no Brasil representam agora menos de 30% de sua produção,  enquanto no seu auge representaram "quase 50%".

Na oportunidade, Schiemer revelou que vendeu 500 caminhões para a Ambev e 1.600 ônibus para a cidade de São Paulo. A fábrica iniciará um segundo turno para atender os pedidos.

* Com informações do DCI

Veja também: