A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou hoje (5) a operação da empresa aérea chilena JetSmart no País, dias após ter autorizado a sua subsidiária argentina.

A JetSmart, de propriedade da Indigo Partners, empresa de private equity com sede em Phoenix, Arizona, iniciou suas operações no Chile em 2016. A empresa requereu autorização para voar em janeiro de 2017, recebendo em junho o AOC (Air Operator Certificate) e o seu primeiro Airbus A320, saído da fábrica.

Em julho de 2017, a companhia começou a oferecer voos em rotas domésticas com tarifa média de 12 dólares. A oportunidade de fazer viagens aéreas dentro do Chile por 30 dólares ida e volta garantiu o sucesso da campanha de marketing.

Atualmente a JetSmart tem participação de 16% do mercado chileno e já transportou mais de três milhões de passageiros.

O diretor executivo da JetSmart, Estuardo Ortiz, em entrevista, em maio/2019, à rádio Pauta Bloomberg, em Santiago, explicou que o crescimento da empresa não ocorreu às custas de tirar passageiros das concorrentes, Latam Airlines e Sky Airline, mas à expansão do mercado doméstico, que trocou o ônibus pelo avião nas viagens.

O total de passageiros de voos nacionais disparou 46% no Chile no primeiro trimestre de 2018 e a JetSmart teve um salto de 120%.

"Não houve roubo de passageiros, nossos concorrentes transportaram mais passageiros", disse Ortiz.

A JetSmart também opera vôos internacionais para o Peru e Argentina e começou a oferecer vôos domésticos neste último país. A empresa planeja permanecer no país vizinho, apesar da alta inflação e da desaceleração econômica. Os argentinos voam menos de um terço que os chilenos, então o potencial é enorme, disse o diretor.

"Desde a criação da JetSmart, há três anos, revolucionamos a indústria  aérea do Chile, cumprindo a promessa de baixar os preços em até 35%,  incentivando a concorrência e fomentando a conectividade com rotas que até agora não existiam. Temos a frota mais nova da América de aviões trazidos da fábrica da Airbus na França e permanentemente registramos recordes em pontualidade. Levamos a mesma promessa para a Argentina e para o Peru, onde hoje também operamos, e queremos levá-la para o resto  da região", disse Ortiz à revista Época.

"A longo prazo, nossa visão é muito simples: queremos ser o líder de baixo custo em toda a América do Sul", resume o executivo.

A JetSmart quer dobrar sua frota de aeronaves Airbus A320 até abril de  2020. A companhia chilena tem uma encomenda para 56 aviões A320neo e 14  A321neo.

JetSmart Argentina

Segundo Ortiz, o plano da empresa é ser a terceira maior da Argentina, atrás apenas da estatal Aerolíneas e da LATAM. A companhia irá iniciar 2020 com seis aeronaves, após incorporar à frota argentina três aeronaves Airbus A320neo zero de fábrica, permitindo cinco novas rotas a partir de Buenos Aires (El Palomar): Córdoba, Mendoza,  Rosário, Ushuaia e Iguazú na tríplice fronteira com Brasil e Paraguai.

“Os resultados que tivemos no país estão bem dentro do que esperávamos.  Apesar do contexto de desafios macroeconômicos, existiu um crescimento  do mercado doméstico de 18% e isso nos revela que existe um mercado na  Argentina” disse o CEO da JetSmart, Estuardo Ortiz.

* Com informações da JetSmart, Época e Aviacionline

Veja também: