Sem redução nos contatos sociais da população – a projeção do governo dobra o número de infecções em uma semana – as agências de saúde chegariam ao seu limite e não seriam mais capazes de rastrear os casos, explicou a Chanceler Angela Merkel.

“Nosso instrumento mais importante contra o vírus é o rastreamento de infecções”, disse.

No momento, a incidência na Alemanha ainda é comparativamente baixa.

Na quinta-feira (29), o Instituto Robert Koch (RKI) relatou 16,774 novos positivos para coronavírus no período de 24 horas – um recorde nominal desde o início da pandemia.

Os números não são comparáveis aos da primavera, pois mais testes estão sendo realizados e, portanto, mais "casos" estão sendo detectados.

O lockdown entra em vigor desta segunda-feira, 2 de novembro, até o final do mês. Depois de duas semanas, o governo e os estados pretendem se consultar e, segundo Merkel, "fazer os ajustes necessários" às medidas.

"Estamos prescrevendo uma terapia de quatro semanas, se é que você pode dizer isso. Esperamos que a dose seja a certa, que tenha sucesso", disse o premiê da Bavária, Markus Söder.

De acordo com as novas regras, apenas os membros da sua própria casa e de outra família – um máximo de 10 pessoas no total – terão permissão para se reunir em público durante o "circuit breaker".

“Grupos de pessoas celebrando em locais públicos, em apartamentos e áreas privadas são inaceitáveis em vista da grave situação em nosso país”, afirma a resolução acordada entre Merkel e líderes estaduais.

Os especialistas acreditam que o número de novas infecções por dia deve ser reduzida para 4.000 para evitar um aumento dramático no número de mortes por covid-19. Isso exigiria uma redução dos contatos em 50 a 75 por cento ao longo de várias semanas, a fim de obter uma recuperação significativa até dezembro.

Os virologistas Jonas Schmidt-Chanasit e Hendrik Streeck, juntamente com a Associação Nacional de Médicos de Seguro Saúde Estatutário, apresentaram um artigo questionando se o lockdown era realmente necessário.

“Já estamos enfrentando a falta de fornecimento de outros tratamentos médicos urgentes, efeitos colaterais graves em crianças e jovens devido à privação social e interrupções nos cursos de formação educacional e profissional, o declínio de setores econômicos inteiros, de muitas instituições culturais e o crescente desequilíbrio social", escrevem os autores.

O princípio deve ser escolher as medidas para conter a pandemia "de forma que possamos efetivamente reduzir eventos graves sem causar novos danos", disseram.

"Infelizmente, ainda não há evidências de que você pode simplesmente ligar e desligar uma economia como um interruptor de luz sem causar mais danos estruturais", disse Carsten Brzeski do banco ING, alertando que um novo período de declínio econômico parece inevitável após uma breve recuperação.

Regras

Não haverá confinamento domiciliar compulsório, teletrabalho obrigatório, proibição de circulação nas estradas ou exigência de "permissões".

Cafés, restaurantes, bares e outros locais semelhantes foram ordenados a fechar durante o mês de novembro – exceções serão feitas para preparações para consumo no domicílio. As cantinas escolares poderão permanecer abertas.

Este é um ponto muito controverso. Nem todos os líderes estaduais estão convencidos da necessidade desses fechamentos – de acordo com o RKI, os restaurantes não são impulsionadores da pandemia.

As estadias em hotéis serão permitidas apenas para "fins necessários e expressamente não turísticos".

Associações profissionais alertaram que até um terço dos hotéis e restaurantes podem ser forçados a fechar definitivamente suas portas até o final do ano.

Teatros, salas de ópera e concertos, museus, feiras comerciais, cinemas, parques de diversões, galerias de arte, cassinos, casas de apostas, piscinas, saunas, spas, academias, ginásios e instalações semelhantes estarão fechados.

Os desportos recreativos e amadores também não são permitidos em todas as instalações desportivas públicas e privadas, com exceção dos esportes individuais, em pares ou participando apenas pessoas da própria moradia.

Esportes profissionais só serão permitidos sem espectadores em novembro. A regra também se aplica à Liga Alemã de Futebol.

Negócios como salões de beleza, massagens ou tatuagens terão que fechar em novembro. Os salões de cabeleireiro poderão funcionar.

Todas as lojas podem permanecer abertas durante a paralisação de novembro, mas não será permitido mais do que um cliente por 10 metros quadrados.

Escolas e creches também devem permanecer abertas em novembro. O fechamento deve ser apenas um "último recurso". Existem dois lockdowns locais atualmente em vigor, em Bercthesgadener Land e Rottal-Inn, na Baviera, com escolas fechadas.

Instituições de assistência social e juvenil e instalações de aconselhamento permanecerão abertas.

As fronteiras devem permanecer abertas tanto quanto possível.

Impacto na economia

A economia alemã cresceu 8,2 por cento no terceiro trimestre e deve encolher menos do que o esperado em 2020, mesmo com o país enfrentando novas paralisações para conter uma segunda onda de coronavírus.

A agência de estatísticas federal Destatis informou que a recuperação de julho a setembro, após uma queda histórica no segundo trimestre, foi impulsionada por "maior despesa de consumo final das famílias, maior formação de capital em máquinas e equipamentos e um forte aumento nas exportações".

No geral, o governo agora espera que a maior economia da Europa encolha 5,5 por cento em 2020, disse o Ministro da Economia, Peter Altmaier. A estimativa de crescimento de 4,4% para 2021 permanece inalterada.

Para refletir a situação de pandemia, o governo revisou para baixo sua previsão de crescimento no quarto trimestre de 1,1 para 0,4 por cento.

Altmaier disse estar otimista de que o impacto das paralisações não será tão grande quanto no início do ano.

Enquanto a Europa se fecha novamente para enfrentar a segunda onda do vírus, a Ásia permanece aberta para negócios, ajudando exportadores e as montadoras alemãs.

As cadeias de abastecimento da Europa também não foram afetadas desta vez, com as fronteiras da União Europeia permanecendo abertas, observou Altmaier.

"A economia está muito melhor preparada para a pandemia e para a necessidade de controlá-la no outono do que na primavera", disse.

Os autônomos e os negócios com até 50 funcionários serão compensados em até 75 por cento de seu faturamento durante as semanas em que forem forçados a interromper suas atividades, enquanto o auxílio anterior só poderia ser usado para cobrir custos fixos, como aluguel e contas de serviços públicos.

Para as empresas maiores, os percentuais serão determinados de acordo com as diretrizes da União Europeia para auxílios governamentais.

Emprego

O governo estendeu o regime de trabalho de curta duração "Kurzarbeit" para um total de 24 meses.

O banco de investimento KfW prevê que mais de um milhão de empregos podem ser perdidos este ano em pequenas e médias empresas.

* Com informações do The Local

Veja também:

Leitura recomendada: