De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), os repasses alcançaram R$ 2,47 bilhões. Nos primeiros seis meses de 2018, o então Ministério das Cidades repassou R$ 1,02 bilhão.

“As famílias de baixa renda foram as mais contempladas pelo governo do  presidente Jair Bolsonaro, com 84% dos recursos pagos ao programa.  Isso porque, do total - R$ 2,7 bilhões -, foram direcionados R$ 2,3  bilhões à Faixa 1, que contempla a categoria de renda familiar mensal até R$ 1,8  mil. Os outros R$ 428 milhões foram utilizados para subvenção econômica dos contratos das Faixas 1,5 e 2”, informou o ministério.

Este ano o ministério entregou mais de 234 mil residências em todos os  estados e no Distrito Federal. Além disso, foram contratadas 153,9 mil  unidades habitacionais nas faixas 1,5; 2 e 3. Atualmente, 233,6 mil  unidades estão em construção no território nacional, segundo o MDR.

Atualização 23/08/2019:

Canuto diz que 177 mil moradias já foram contratadas este ano

Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

O governo está com 233 mil unidades habitacionais em  construção, sendo que 177 mil foram contratadas este ano. A informação é  do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, que  participou, nesta sexta-feira (23), da entrega de 600 apartamentos do  programa Minha Casa, Minha Vida na comunidade Mandela de Pedra, em  Manguinhos, uma das áreas mais pobres do Rio de Janeiro.

“A gente está com 233 mil unidades em construção. Estamos com algumas  esperando. Estamos trabalhando para conseguir recursos para continuar  outras obras no ano que vem. Já contratamos mais de 177 mil este ano.  Mas a gente faz isso com responsabilidade. Porque a gente não quer  começar uma obra que não possa pagar. Se começar, tem que ter dinheiro  para a construtora. A gente só faz quando tem garantia [de] que pode  executar”, disse Canuto em entrevista após o evento, que contou com a  presença de centenas de pessoas.

Os moradores contemplados com as novas residências fizeram questão de  comparecer à entrega das chaves e muitos mostravam-se emocionados, na  expectativa de receber a casa própria e deixar para trás as residências  precárias em que moravam. O ministro foi cercado pelos moradores, que  queriam agradecer pessoalmente pela entrega das residências.

“É essencial ter contato com a população, ver essa alegria, essa  vida. E ver que o dinheiro está sendo bem investido. A gente está  trazendo mais do que um teto, está trazendo moradia, dignidade, para que  os cidadãos se sintam parte da sociedade. É disso que a gente precisa. É  uma necessidade muito grande, e o governo está lutando para isso. O  presidente Jair Bolsonaro, os ministros todos, o que queremos é poder  construir muitos outros conjuntos, trazer as pessoas, que elas tenham  esperança e saibam, tenham a certeza absoluta de que fazem parte da  sociedade”, disse Canuto.

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, também participou da solenidade e  agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro pela entrega dos apartamentos,  que abrigarão pessoas que antes moravam em áreas de risco. “Era uma  esperança enorme que essas pessoas tinham. Quero agradecer muito ao  ministro Canuto e ao presidente Jair Bolsonaro, porque o sonho se tornou  realidade."

Crivella ressaltou que, com os imóveis entregues hoje, será possível  atender com o aluguel social mais 600 [famílias], o que ajuda muito a  cidade, que tem um problema de moradia muito grande. "Já estive em  muitos condomínios Minha Casa, Minha Vida, mas, como este aqui, ainda  não tinha visto”, destacou o prefeito.

Investimentos

As moradias localizadas nos Residenciais Mandela de Pedra I e II vão  beneficiar cerca de 2.400 pessoas. As residências têm área de 43,95  metros quadrados (m²) e foram avaliadas em R$ 96 mil. Cada um dos  empreendimentos dispõe de parque infantil, salão de festas, quadra  poliesportiva, centro comunitário e equipamentos de ginástica para  idosos. A infraestrutura conta com pavimentação, drenagem, iluminação  pública, rede de energia, urbanização, água e esgoto.

O Ministério do Desenvolvimento Regional investiu R$ 4,62 bilhões  durante os seis primeiros meses do ano em obras de habitação popular,  segurança hídrica e mobilidade urbana, bem como em ações de  desenvolvimento regional e de defesa civil. A habitação popular, com  destaque para o Programa Minha Casa, Minha Vida, recebeu R$ 2,54  bilhões.